Logotipo Arquivo Regional e Biblioteca Pública da Madeira
Salvaguardamos e valorizamos o património documental da Região.
Início2021-06-09T08:57:34+00:00

AINDA MENSAGEM: UM LIVRO POR CONHECER

Conferência
Jerónimo Pizarro
Centro de Estudos de História do Atlântico – Alberto Vieira
sexta feira, 18.06.2021, 17h

Inscrições: ceha@madeira.gov.pt

No próximo dia 18 de junho de 2021, o Centro de Estudos de História do Atlântico – Alberto Vieira acolhe a conferência “AINDA MENSAGEM: UM LIVRO POR CONHECER” de Jerónimo Pizarro, Professor da Universidad de los Andes (Colômbia), Doutor pelas Universidades de Harvard (2008) e de Lisboa (2006), titular da Cátedra de Estudos Portugueses do Instituto Camões na Colômbia, Prémio Eduardo Lourenço – 2013, editor-chefe da revista em linha Pessoa Plural e um dos mais conceituados estudiosos da obra pessoana, da qual tem coordenado várias edições críticas.
Neste regresso ao Funchal, Jerónimo Pizarro propõe-nos revisitar, uma vez mais, Mensagem (1934), o único livro em português editado por Pessoa em vida. Na sinopse da conferência, Jerónimo Pizarro nota que Mensagem “é um livro que já teve três edições críticas, as últimas duas recentes (2018, 2020), o que sugere que ainda está por conhecer, embora seja um dos livros mais lidos de Fernando Pessoa. Explicar este aparente paradoxo é o intuito desta conferência”.
Este encontro, com entrada livre, resulta de uma colaboração interinstitucional entre a Secretaria Regional de Turismo e Cultura / Direção Regional do Arquivo e Biblioteca da Madeira, através do Centro de Estudos de História do Atlântico – Alberto Vieira, e o Centro de Investigação em Estudos Regionais e Locais da Universidade da Madeira, neste último caso, através do projeto TRANSLOCAL. Culturas Contemporâneas Locais e Urbanas.

Comemorações do Dia Regional dos Arquivos e do Património Documental
Arquivo fotográfico do Diário de Notícias da Madeira
ABM divulga primeiro lote de quase 700 fotografias

O ABM dá início à divulgação do arquivo fotográfico do Diário de Notícias da Madeira, com um conjunto de quase 700 fotografias alusivas aos primeiros “Raids” do Diário de Notícias (anos de 1988 a 1992), ficando as respetivas descrições e objetos digitais associados, disponíveis na plataforma de pesquisa de arquivos.
Fundado em 1876 pelo cónego Alfredo César de Oliveira, o Diário de Notícias da Madeira é um dos jornais diários mais antigos do país. O arquivo fotográfico e documental do Diário de Notícias da Madeira é constituído por cerca de meio milhão de espécies fotográficas e uma trintena de caixas com material de apoio à edição, cobrindo fundamentalmente o último quartel do século XX e inícios da presente centúria. Os registos fotográficos dizem respeito a temáticas generalistas objeto da edição do jornal: pessoas; acontecimentos; património (natural e edificado); transportes; justiça; política; desporto. O arquivo engloba ainda uma importante coleção de telefotos retratando factos nacionais e internacionais. Representa um testemunho notável de vivências e dos factos de um período da história recente do arquipélago da Madeira.
A organização do fundo respeita a disposição de origem, constituída por três grandes secções temáticas: A – Temas genéricos; B – Desporto; C – Barcos. Acresce uma quarta secção com os negativos dos repórteres/correspondentes do jornal e uma quinta secção intitulada “Arquivo”, que guarda os instrumentos de recuperação de informação concebidos pela empresa. A disponibilização de objetos digitais na plataforma de pesquisa de arquivos irá prosseguir nos próximos meses, de forma faseada.

Divulgação de obras em domínio público

Robert Reid Kalley (1809-1888)

Em 2021, a DRABM assinala com os seus leitores o Domínio Público, disponibilizando, mensalmente, um conjunto de autores e obras. Este mês destacamos Robert Reid Kalley (1809-1888), médico e pastor escocês, pioneiro do Protestantismo Missionário na Ilha da Madeira.
A obra Exposição de Factos, agora disponibilizada, constitui uma súmula dos seus pontos de vista como pastor protestante. A monografia pode ser consultada no catálogo bibliográfico do ABM e na RNOD (Rede Nacional de Objetos Digitais).

KALLEY, Robert Reid, 1875, Exposição de factos, Lisboa, Typ. Luso-Britannica de W. T. Wood

Robert Reid Kalley nasceu em 8 de setembro de 1809, em Mount Florida, nos arredores de Glasgow, Escócia. Aos vinte anos diplomou-se como cirurgião e farmacêutico pela Faculdade de Medicina e Cirurgia de Glasgow, tendo feito os seus estudos práticos no Hospital Real da mesma cidade. Em 1838, Robert Kalley chega ao Funchal, onde cria escolas, um hospital e um serviço de consultas médicas. Começa também um processo de evangelização e distribuição de bíblias. Em 1843 é preso durante alguns meses. A 8 de maio de 1845 foi fundada no Funchal (ilegalmente, pois as igrejas protestantes permaneciam proibidas) a Igreja presbiteriana, tendo sido ordenados presbíteros e diáconos.

DRABM assina protocolo com a Diocese do Funchal para digitalização e divulgação da biblioteca histórica da Cúria Diocesana

A Diocese do Funchal e a Secretaria Regional de Turismo e Cultura formalizarão no mês de junho um protocolo no âmbito da preservação, salvaguarda e divulgação do património documental daquela Diocese. No quadro deste protocolo serão iniciados diversos projetos, sendo o primeiro a digitalização da biblioteca histórica da Cúria Diocesana. Esta biblioteca, composta por várias centenas de volumes com datas de edição entre os séculos XVI e XIX, será ainda integrada no Catálogo Coletivo de Bibliotecas da Madeira (CCBM), gerido pela DRABM no âmbito da coordenação da Rede Regional de Bibliotecas. Após a sua digitalização, as réplicas digitais dos exemplares da biblioteca histórica da Cúria Diocesana ficarão disponíveis em contexto virtual naquele catálogo. Recorde-se que o CCBM é um catálogo colaborativo que tem o objetivo de valorizar o património bibliográfico regional através da integração, divulgação e localização de toda a informação documental bibliográfica das bibliotecas da Região Autónoma da Madeira.

Dia Mundial da Criança 2021

O Dia Mundial da Criança no Arquivo e Biblioteca da Madeira este ano tem como temática a obra O Principezinho, de Saint-Exupéry.

A propósito do tema estará patente uma mostra bibliográfica com obras editadas no século XXI, das quais destacamos uma edição de O Principezinho com apenas 7 centímetros de altura. Apresentam-se edições adaptadas para bebés, uma antologia de frases icónicas e uma interessante edição anotada por José Luís Peixoto. Salientamos também um exemplar, onde as aguarelas originais do autor, combinadas com a engenharia do formato pop-up, transformam a obra escrita e exigem a participação do leitor.
Estarão também disponíveis na sala infantojuvenil para empréstimo vários exemplares de O Principezinho e outras coleções juvenis baseadas na obra.
Para a exploração da temática em casa, foi desenvolvido um caderno de atividades com diferentes desafios e curiosidades sobre o autor e a obra.
Para quem nos visitar haverá outras surpresas!

«Porquê Ler Autores do Sistema Literário Madeirense?
Problemas e desafios da sua edição e divulgação»

Mesa-Redonda (entrada livre)
02.06.2021 | 17h | Centro de Estudos de História do Atlântico/Alberto Vieira

«Porquê Ler Autores do Sistema Literário Madeirense? Problemas e desafios da sua edição e divulgação»
Mesa-Redonda (entrada livre)
02.06.2021 | 17h | Centro de Estudos de História do Atlântico/Alberto Vieira

No próximo dia 2 de junho de 2021, pelas 17h, no auditório do Centro de Estudos de História do Atlântico-Alberto Vieira, terá lugar a mesa-redonda «Porquê Ler Autores do Sistema Literário Madeirense? Problemas e desafios da sua edição e divulgação», com o propósito de discutir o atual quadro de edição e divulgação de autores integráveis no que se poderá chamar o “sistema literário madeirense”.

Promovida no âmbito da Oficina de Formação CABRAL DO NASCIMENTO E(M) AS VOLTAS DO MUNDO resultante de uma parceria entre a DRABM, o CEHA/AV, a ESFF e a IA, esta mesa-redonda, com moderação de Ana Salgueiro, é aberta ao público em geral e contará com a intervenção dos seguintes oradores:
• Carlos Diogo Pereira, pela Imprensa Académica e pela editora Cadmus;
• Filipe dos Santos, pela Direção Regional do Arquivo e Biblioteca da Madeira;
• Tozé Cardoso, pelo projeto Vértice;
• Xavier Miguel, pelo Teatro Bolo do Caco.