Início2024-06-18T14:05:43+00:00

DRABM apresenta exposição e mesa-redonda “50 Anos da Revolução de Abril na Madeira: Um percurso pela Coleção de Folhetos Políticos do Arquivo e Biblioteca da Madeira”

No âmbito das Comemorações da Revolução de Abril de 1974, a Direção Regional do Arquivo e Biblioteca da Madeira (DRABM) associa-se a esta efeméride com a divulgação da sua Coleção de Folhetos Políticos (CFOLP).
No próximo dia 14 de junho, às 17h30, abre ao público a exposição “50 Anos da Revolução de Abril na Madeira: Um percurso pela Coleção de Folhetos Políticos do Arquivo e Biblioteca da Madeira”. Segue-se uma mesa-redonda no auditório do Arquivo e Biblioteca da Madeira (ABM) que promoverá um debate em torno do 25 de Abril e das suas especificidades no contexto político e social madeirense. A conversa será moderada por José Vieira Gomes, diretor de serviços de Gestão e Tratamento de Arquivos da DRABM e terá como convidados os investigadores Paulo Rodrigues, Bernardo Martins e Fernando Pimenta, além da bibliotecária do ABM, Patrícia Velosa.

A Coleção de Folhetos Políticos reúne um total de 1233 documentos descritos e digitalizados (4305 réplicas digitais) de natureza política, propagandística e de divulgação de atividades desenvolvidas no arquipélago da Madeira por uma série de coletividades pró-independência e/ou pró-autonomia, bem como por movimentos operários, sindicais, estudantis e partidários, durante o conturbado período político-revolucionário subsequente à Revolução dos Cravos de 1974 e até 1980.
O acervo contempla ainda um restrito número de 6 folhetos, com data de produção anterior a 1974, sendo o mais antigo datado de 1929.

É de salientar que se encontram extintas muitas das organizações presentes nesta coleção, enquanto outras naturalmente se mantêm ativas. Esta é uma documentação pouco conhecida e explorada pelo investigador de história contemporânea da Madeira, talvez como resultado da própria fragilidade e raridade deste material panfletário, por vezes produzido clandestinamente para circular de mão em mão ou distribuído pela via pública. Com uma temática política e social amiúde polémica ou fraturante, em particular no contexto da sua época, esta coleção afirma-se como fonte de informação relevante e diferenciada para o conhecimento da história mais recente do arquipélago da Madeira.

A exposição ficará patente no átrio do ABM até ao final de outubro.

Boletim informativo N.º 2 da Associação de Familiares dos Militares Revolucionários Presos. ABM, Coleção de Folhetos Políticos, CFOLP/363.

Catalogação: formato UNIMARC | 17 a 19 de junho | Inscrições abertas

No âmbito do apoio às bibliotecas da Região, a DRABM, através da Direção de Serviços de Gestão e Tratamento de Bibliotecas, promove a formação “Catalogação: formato UNIMARC”.

A formação é ministrada pela bibliotecária do ABM, Helena França e decorre nos dias 17 a 19 de junho, das 9:00 às 13:00, em formato presencial, no auditório do Arquivo e Biblioteca da Madeira.

As inscrições estão abertas a todos os técnicos das bibliotecas da RAM até ao dia 15 de junho, independentemente da sua tipologia (pública, escolar, especializada ou universitárias), através do email rede.abm.srtc@madeira.gov.pt

O tratamento documental consubstancia-se pela aplicação de normas e procedimentos com vista à recolha, tratamento e organização da informação, de modo a facultar aos utilizadores um acesso rápido e eficaz à recuperação da informação. Nesta ação serão abordados os principais campos do formato UNIMARC bibliográfico.

DRABM disponibiliza arquivo da Fábrica de Manteiga das Cruzinhas (FMC)

Foi disponibilizada na plataforma de pesquisa de arquivos informação descritiva relativa ao arquivo ao arquivo da Fábrica de Manteiga das Cruzinhas, também denominada Fábrica de Manteiga n.º 18, de José Teodoro Teixeira Brazão. Tal como o seu nome indica, a fábrica estava localizada no sítio das Cruzinhas, Freguesia do Faial, Concelho de Santana.
Este fundo, de reduzida dimensão, reúne documentação entre 1942 e 1965 e é constituído por correspondência recebida, mapas de registo de manteiga produzida, mapa de registo de manteiga vendida à firma “J. Salles Caldeira, Ld.ª” e cadernos de registo de transportes efetuados.
O conjunto documental foi incorporado no então Arquivo Regional da Madeira através da Direção de Serviços do Património Cultural da Direção Regional dos Assuntos Culturais a 17 de novembro de 2011.

Acesso ao arquivo

Registo da marca de manteiga da Fábrica de Manteiga das Cruzinhas, [post. 1936], ABM, Intendência de Pecuária da Junta Geral do Distrito Autónomo do Funchal, liv. 167, f. 13 da letra J.

Nota biográfica do proprietário:
José Teodoro Teixeira Brazão nasceu a 12 de dezembro de 1883 na Freguesia do Faial, Concelho de Santana, filho de José Teodoro Teixeira Brazão e de Maria de Freitas. No dia 7 de julho de 1906, casou com Maria de Mendonça na igreja paroquial de Nossa Senhora da Natividade na Freguesia do Faial. Desta união, resultou apenas um filho, também chamado José Teodoro Teixeira Brazão, nascido a 19 de novembro de 1906.
À data da sua morte, 11 de maio de 1959, além da fábrica de manteiga, também era proprietário de uma azenha e de um estabelecimento de mercearia e venda de bebidas, todos no sítio das Cruzinhas, Freguesia do Faial, Concelho de Santana.

DRABM disponibiliza arquivo do Externato Lisbonense do Funchal (ELFUN)

Foi disponibilizada na plataforma de pesquisa de arquivos informação descritiva relativa ao arquivo histórico do Externato Lisbonense do Funchal.
O arquivo inclui documentação referente à administração da Escola, designadamente à gestão administrativa e financeira, bem como ao ensino e às atividades criativas desenvolvidas pelos alunos. Das áreas enumeradas destacam-se os livros de atas, correspondência, os registos de matrícula, os registos de avaliação escolar, os registos de filiados na Mocidade Portuguesa, algum material pedagógico, fotografias e, finalmente, registos em cassetes de vídeo, CDs e DVDs de eventos e comemorações da escola.
Este fundo foi doado a 17 de outubro de 2017 por Teresa Castro Afonso, coproprietária do Externato Lisbonense do Funchal.

Acesso ao arquivo 

Retrato da diretora D. Maria Alexandrina Dias e suas alunas, 1919-06-19, prova fotográfica, ABM, ELFUN/2.

DRABM disponibiliza em linha livro do século XVI recentemente descoberto na Igreja Matriz de Machico

Na sequência da descoberta em 2021, na Igreja Matriz de Machico, de um conjunto de documentos históricos referentes a esta paróquia, a DRABM, em parceria com a Paróquia de Machico, procedeu à digitalização do mais antigo daqueles documentos, um livro de registo de sufrágios que remonta ao século XVI. Este livro contém informação sobre obrigações pias, instituídas em testamento, em benefício das almas dos defuntos paroquianos de Machico, reunindo dados preciosos sobre a comunidade original que evoluiu nesta localidade (tornada vila por foral de 1451), incluindo os primeiros capitães donatários de Machico.

O livro foi depositado provisoriamente no Arquivo e Biblioteca da Madeira para digitalização, tendo sido devolvido à sua entidade detentora, a Paróquia de Machico, que o tem divulgado e dinamizado no âmbito do projeto da “Sala do Tesouro” da Igreja Matriz de Machico.

Antes da sua desmaterialização no ABM, o livro havia já sido objeto de intervenção de restauro promovida pelo projeto VINCULUM, sediado na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Novas de Lisboa.

As réplicas digitais, agora disponibilizadas em livre acesso pela DRABM, estão integradas no fundo documental da Paróquia de Machico e podem ser acedidas na nossa plataforma de pesquisa de arquivos.

Acesso Tombo 1.º de registo de sufrágios da paróquia de Machico

DRABM disponibiliza arquivo do Grupo Musical 10 de Maio de 1937 (GMM)

Foi disponibilizada na plataforma de pesquisa de arquivos informação descritiva relativa ao arquivo do Grupo Musical 10 de Maio de 1937.
Esta agremiação teve origem num grupo de músicos que decidiu formar uma associação recreativa com o objetivo primordial de promover o desenvolvimento da arte musical entre os seus associados. A primeira reunião de assembleia geral aconteceu no dia 10 de maio de 1937, data que acabou por dar o nome ao grupo musical, na residência de Manuel Gomes no sítio do Ribeiro Seco, Freguesia de São Gonçalo, Concelho do Funchal, que se manteve como sede do grupo musical.

O arquivo que agora se apresenta, reúne correspondência recebida e expedida, estatutos e regulamentos, atas de reunião da assembleia geral e de direção, livros de registo de movimento dos fundos, livros de caixa e de inventário. Trata-se de um fundo de pequena dimensão, sendo constituído por apenas uma unidade de instalação (1 caixa) com datas extremas entre 1937 e 1957.

Este conjunto documental foi doado ao então Arquivo Regional da Madeira por Marta Nunes, neta de um membro do Grupo Musical 10 de Maio de 1937, a 15 de julho de 2014 e a 28 de novembro de 2017 (ingresso adicional).

Acesso ao arquivo

Livro de registo de receita e despesa e de inventário, 1940-1947, ABM, Grupo Musical 10 de Maio de 1937, cx. 1, n.º 8, f. 23.

Go to Top